sexta-feira, 24 de junho de 2005

O Parto na Água

Este é um tipo de parto que desperta cada vez mais interesse nas grávidas de hoje. É um procedimento seguro, que, se realizado sob bases da medicina baseada em evidências, proporciona resultados gratificantes, tanto para a mãe como para o bebé.
(...)

O QUE É O PARTO NA ÁGUA
É a junção de dois elementos que mexem muito com a natureza humana.
Água e nascimento. Um é suave, plástico e volúvel; o outro é violento, contundente e frutuoso. Dá para imaginar o que vai sair?
É o parto onde a água é usada como elemento de relaxamento (para a mãe) durante o trabalho de parto. Pode ser usado na forma de chuveiro, duche, nas costas ou na barriga, uma banheira normal ou mesmo uma banheira de hidromassagem.
O bebé pode nascer debaixo da água ou não. Por definição o parto na água é o que o bebe nasce tendo a mãe o genital totalmente coberto de água.
Uma mãe primípara não deve entrar na banheira antes de atingir 7 cm de dilatação (pois diminuiria a progressão da dilatação). A que tiver o segundo ou terceiro bebé pode entrar desde que atinja 6 cm.

ACÇÃO DA ÁGUA
A água deve estar aquecida, por volta de 35- 37 graus. Isto provoca um aumento da irrigação sanguínea da mãe, diminuição da tensão arterial, alem de relaxamento muscular, o que faz com que a mãe tenha um alívio da sensação dolorosa.
Michel Odent acha que todo este ambiente favorável à mãe acaba por favorecer a produção de occitocina, que, segundo ele, é a hormona do amor. (...)
A água mexe com a natureza humana, quase todas as crianças adoram brincar com a água.
A parturiente fica mais leve dentro da água, pode movimentar-se melhor, girar a bacia, procurar posições que se sinta melhor, e o bebé dentro dela também fica mais leve....então por que não?
VANTAGENS do parto na água são numerosas, e podem ser melhor analisadas neste contribuição da Associação Primal da Espanha.

DESVANTAGENS
Há questões sobre os partos considerados de risco: gemelares, pélvicos, prematuros, embora alguns defendam que mesmo neste caso a água pode trazer uma ajuda.
Contra indicamos os partos na água em casos de bebés com tamanho (ecografia) previsto para acima de 4500. Entre 4000 - 4500 gramas deve ser avaliado, pela possibilidade de distócia do ombro.
A episiotomia pode ser feita com dificuldade dentro da água, mas pode ser feita.
Em casos com antecedentes de hemorragia contra-indicamos o parto aquático, embora se possa usar a água no período de dilatação.
(...)

CONSIDERAÇÕES FINAIS
A água é um elemento terapêutico, que pode trazer muitas vantagens ao desenrolar do parto, favorecendo o processo de dilatação, o alivio das dores, o relaxamento muscular da mãe e emocional também.
A nosso ver, deveria vencer-se o preconceito que existe em relação à instalação de banheiras em ambiente de parto, para que as parturientes pudessem dispor deste recurso para um parto mais humanizado.

Dr. Adailton Salvatore Meira

Informação retirada de www.maternatura.med.br
Adaptado por Cristina Carvalho

Nota: Destacamos a entrevista exclusiva do Dr. Michel Odent, sobre este tema, à revista Pais & Filhos, edição do mês de Julho.

8 comentários:

sonia disse...

aqui na holanda e muito comum. os partos sao em casa e pode-se alugar uma especie de piscina com o tamanho perfeito para caber no quarto. tenho uma amiga que utilizou e aconselha vivamente. e muito relaxante durante as contraccoes de dilatacao para a mama e um meio muito natural para o bebe nascer!
obrigada por divulgarem!

papu disse...

Este é realmente um tema que me interessa! Nunca experimentei (tenho dois filhos) mas acho que deve ser óptimo! Gosto muito de estar dentro de água (adoro nadar) e acho que deve ser uma ajuda preciosa no momento do parto, pois dentro de água adquirimos aquela leveza própria da diminuição da força de gravidade, o que faz com que possamos "levitar"...

Estou agora a viver no Reino Unido e aqui é comum perguntar-se às grávidas se querem ou não uma piscina, a certa altura do trabalho de parto... só tenho pena que os meus filhos não tenham nascido aqui para poder usufruir deste privilégio!

Acho que ainda há a ideia de que o parto na água é perigoso, pelo menos aí em Portugal penso que a maioria dos médicos não o recomenda. Realmente era importante perceber-se porquê e se calhar ajudar a pôr de lado esta ideia falsa - se realmente for o caso. O que tenho lido sobre o assunto é que este tipo de parto aumenta o risco de infecções. É verdade? De qualquer forma, mesmo que seja verdade, interessa saber que tipo de riscos e que probabilidade têm de ocorrer realmente. Depois há que comparar com as vantagens, e pelo que mostram no vosso post, estas são mais que muitas!

AnaBond disse...

Era o tipo de parto que mais gostava... mas aqui em Portugal segundo o que sei ainda não se faz, não é?

Enfim..

Cristina Carvalho disse...

Por mais que procure, não encontro informação sobre possíveis riscos de infecção causada por partos na água, o máximo que consegui foi o seguinte:
"(...)Esse tipo de parto pode causar afogamentos e mortes de bebês, conforme descrevem médicos da Nova Zelândia. Eles afirmam que são necessárias evidências mais seguras para garantir que os partos na água sejam oferecidos com segurança.
Um editorial da revista sugere que as complicações são raras, mas que diversos afogamentos ocorreram durante partos na água mal administrados.
(...)se os bebês não receberem oxigênio suficiente durante o parto eles podem procurar ar, arriscando-se a engolir água, que pode se alojar nos pulmões, lembra o Dr. Joseph Gilhooly, neonatologista da Oregon Health & Science University, instituição que oferece partos na água. Ele diz que os bebês devem ser rapidamente retirados da água para evitar esse risco."
Fonte:CNN
Publicado em 12/08/2002
Informação retirada do site Saúde em Movimento.com.br

Se encontrar mais alguma informação, logo passarei.

Obrigada por mais uma visita!

pai_da_bea disse...

Boa tarde,

Vou ser pai de uma menina, no próximo mês de Novembro, e estamos a efectuar todos os preparativos para termos a nossa filha em espanha, numa clinica privada, que efectua partos dentro de agua. Temos lido algumas coisas sobre o assunto e temos ouvido algumas experiências bastante positivas.
Ainda durante o mêsd de agosto vamos visitar a clinica em questão (acuario.org) e depois darei informações adicionais).
Até lá

Anónimo disse...

Pai da Bea e Cristina Carvalho, estou grávida do meu primeiro filho e a ideia do parto dentro de água parece-me extremamente "calmante". Quem puder contribuir com mais informação, nomeadamente, no que se refere a clínicas onde realizam este tipo de intervenção, pessoalmente, agradeço. Paula

Luisa Condeço disse...

Olá Paula
Em Portugal ainda não existem clínicas com parto na água, apenas em Espanha. Mas em qualquer lugar da casa se pode fazer um parto na água desde que os profissionais de saúde que te acompanham conheçam os benefícios e os detalhes essenciais a este procedimento. Qualquer coisa pode contactar-nos pelo doulasdeportugal@yahoo.com
Um abraço

Nicole Esteves disse...

Para quem encontrar este blog nas suas pesquisas mais recentes, disseram-me ontem que o Hospital Particular de Lisboa já pratica partos na água. Como o Hospital é particular, os partos não são propriamente baratos, mas mesmo assim, é o parto mais barato por não ter implicado os honorários médicos. Aqui fica o site:

http://www.hpl.pt/