sexta-feira, 21 de outubro de 2005

Epidurais reduzem a dor mas podem aumentar o uso de fórceps

Public release date: 19-Oct-2005
Contact: Amy Molnar amolnar@wiley.com

The Cochrane Library newsletter,2005, Issue 4 – The best single source of reliable evidence about effects of health care

O alívio da dor é um assunto importante para mulheres em trabalho de parto, e as epidurais são cada vez mais frequentes.
Estas reduzem a dor mas aumentam a probabilidade de um parto instrumentalizado. Actualmente existe uma lacuna de evidências que comprovem que as epidurais aumentem o risco de ocorrência de cesarianas, no entanto, mulheres a quem seja administrada epidural têm um segundo estádio de trabalho de parto mais longo, comparado com aquelas que foram sujeitas a outras formas de alívio da dor.

As epidurais, introduzidas em 1946, são agora usadas por 1/5 das mulheres do Reino Unido e por metade das mulheres nos EUA, durante o trabalho de parto. Numa analgesia epidural, agentes anestésicos são injectados na região baixa da coluna. Este processo bloqueia a actividade nervosa e transmite estímulos indolores do canal de parto para o cérebro, o que resulta no alívio da dor.

Uma revisão sistemática da literatura incluindo 21 estudos de analgesia epidural no trabalho de parto, envolvendo 6664 mulheres. The Cochrane Reviews Authors tiraram várias conclusões a partir destes dados.

Comparativamente com mulheres que usaram outras formas de alívio da dor, mulheres sujeitas a epidural têm maior alívio da dor, segundo estádio de trabalho de parto mais longo, aumento da probabilidade de partos instrumentalizados, e aumento da probabilidade de ter febre durante o trabalho de parto.

Encontrou-se alguma falta de evidências que as epidurais afectassem os recém-nascidos, aumentassem a probabilidade de partos por cesariana, aumentassem a probabilidade de dores nas costas a longo termo, e afectassem a satisfação materna.

“As evidências nesta revisão têm que ser disponibilizadas a mulheres que considerem a hipótese de alívio da dor em trabalho de parto,” diz o autor principal Millicent Anim-Somuah, Investigador Honorário na School of Reproductive and Development Medicine, no Liverpool Women’s Hospital NHS Trust, Liverpool, Reino Unido.

Review title: Anim-Somuah M et al. Epidural versus non-epidural ornoanalgesia in labour.The Cochrane Database of Systematic Reviews 2005, Issue 4.

3 comentários:

Online Web Solutions disse...

Hey, you have a great blog here! I'm definitely going to bookmark you!

I have a atlanta web design site/blog. It pretty much covers atlanta web design related stuff.

Come and check it out if you get time :-)

Mamã Babada disse...

Cara sónia,
por acaso não tens um contacto msn? Gostava de falar contigo acerca da indução do parto.

Bjs,

Mamã Babada

Cristina Carvalho disse...

Olá!
Desculpa se estou a "meter a foice em seara alheia" mas este post não foi a Sónia que colocou. O mail dela é sonia.doula@sapo.pt, o meu é mae02042002@yahoo.com.br.
Se quiseres conversar envia-me um mail com o teu número que te ligo de volta!
Bjinho,
Cristina